Não adianta tu estares no aeroporto, na rodoviária, no trem, no cinema, na festa, no Réveillon do Rio de Janeiro tentando encontrar a tua metade. Se tiveres que encontrar teu amor, ele vai estar ali, escolhendo o melhor tomate na feira mais simples perto da tua casa.

Vai te deixar passar na frente da fila do pão, vai te falar qualquer bobagem, que irá parecer uma conversa sobre a economia brasileira. Vai ser o último cara que tu jamais pensaste que seria. Ouvi dizer que o destino é meio ao contrário, ele capta e traz o que está fora do alcance dos olhos e do desejo do coração. Ele puxa, junta e cola. E aí, é como se ele suspirasse no teu ouvido: “Toma! Eu trouxe pra ti! Está aqui! Aproveita!”.

Mas toma cuidado e preserva teu sorriso. Não saia distribuindo ele por aí. Sorrir é bom. Mas hoje em dia, custa caro abrir todos os dentes, abrir tua vida e compartilhar tuas histórias. Vai com calma e não chega com sede. "O excesso de expectativa é o caminho mais curto para a decepção".

O que tiver que ser teu, vai ser. Aqui, em Paris, no fim do mundo ou em um bar qualquer da Gonçalves Chaves. Tu terás a certeza do que é teu quando tua mente estiver focada no teu presente, no que está a tua frente e não nos lados.

Liberta-te do teu pretérito imperfeito, se tiveres, e vai ser feliz!